Curandeiro e paciente

Como reagir a uma situação estando nela? Não é possível, pois uma vez deprimido, nada mais importa, ninguém, principalmente você mesmo. Uma pessoa abalada emocionalmente não encontra razão nenhuma para seguir e querer sair do seu drama. Muito pelo contrário. Acaba por enfatizar mais ainda esse drama, para que alguém externo venha lhe ajudar.

Seja uma esposa, um parente, um amigo ou até mesmo um deus venha intervir e fazer algo por essa pessoa. É como aquecer as mãos no fogo. Essa pessoa preciso adorar algo externo a ela para gerar calor em suas mãos. É natutal. Passamos nossa infância inteira sendo cuidados pelos nossos pais, aprendemos que precisamos de alguém sempre para nos ajudar. Nada mais automático buscar algum substituto nessa hora.

Aceitar ajuda é legal, é ter consciência de que merece ser ajudado. Mas solicitar que te ajudem sem no fundo querer ser ajudado, é errado. Existem aquelas pessoas que reclamam:-Ninguém me ajuda! Ninguém se importa comigo… Elas só intensificam essa atitude a sua volta. (a de que ninguém quer ajudá-lo). Essa pessoa atrai essa energia. Vibra a energia “sou uma vítma”.

Quer ser ajudado? Seja como um prato de doces na mesa em frente de uma criança. Ou seja, se veja já curado. Se veja mais adiante, na condição de ajudar os outros. Se veja além do seu problema. Busque outras necessidades. Lemre-se aquilo que você foca se intensifica, o que não foca some. Seu problema reduzirá automaticamente.

Se perceber, existe aqui uma relação e uma necessidade. A relação curandeiro e paciente(impaciente) e necessidade, a cura.

Curandeiro e paciente: Rebrain Maxx

No sentido etimológico, a cura (pároco) e cura (saúde restabelecida) acabam por se fundir no caso onde a fé se coloca na função de vibrar energeticamente num propósto.

Outra coisa: DOENTE E ENFERMO são diferentes. Posso estar doente e não enfermo. “Doente” vem do L. DOLENS, de DOLENTIA, “dor” e “enfermo” vem do L. INFIRMUS, “doente”, de IN-, “não”, mais FIRMUS, “firme, estável”.

Uma pessoa doente não tem a firmeza necessária para tratar de todos os aspectos de sua vida. Mas pode sim, se apoiar naquilo que o moveu todos esses anos até o seu estado de “infirmeza”. Sou do Marketing, percorri esse caminho como terapia e auto-cura. Mas se você é profissional de outra área, pode adaptar para os valores ou princípios de sua área. Seja pedreiro, bombeiro, artista, dona de casa, estudante…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp chat